Manejo da arte na clínica da neurose

Manejo da arte na clínica da neurose

RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar a reflexão a respeito da abertura feita pelos analistas para a arte atuar na clínica com o sujeito neurótico. O método utilizado foi a revisão bibliográfica com descritores de “arte”, “neurose” e “psicanálise”. Artistas se comprazem da coisa-objeto para dar espaço ao real, de maneira que haja uma percepção sensível, e um compartilhamento daquilo que grita no sujeito, sendo na neurose, algo do perdido e indizível. A arte produz um espaço, ao que o sujeito se desprende da palavra circunscrita, e promove um alargamento desta para novas formas de palavras ou outras expressões do ser humano, que se traduzem em formas artísticas. A experiencia do real não se reduz ao simbólico, mas alarga as possibilidades de significação.

compartilhe:
Psicóloga Beatriz de Oliveira Peixoto
Sou Psicóloga e Psicanalista, com abordagem lacaniana. Bacheral em Psicologia e Especialista em Psicanálise. (Chancela PUC) Participante do Fórum do campo Lacaniano de Niterói (FCLN). Ampla experiência em atuação clínica privada/ambulatório institucional, atendimentos a pacientes de todas as faixas etárias. A análise propicia ao sujeito ressignificar sua trajetória e permite que este possa se apropriar e lidar com as suas questões. "Fora de suas vulnerabilidades virá sua força" - Sigmund Freud psibeatrizpeixoto.wixsite.com

Artigos recentes:

3 Comments

  1. Donec sed odio dui. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nullam id dolor id nibh ultricies vehicula ut id elit. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.

  2. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.