6 dicas de como diminuir o conflito entre os pais durante a separação para ajudar seus filhos no processo

6 dicas de como diminuir o conflito entre os pais durante a separação para ajudar seus filhos no processo

Outra vez, pesquisas sugerem que o conflito dos pais está correlacionado como as crianças farão depois da separação dos pais e do divórcio. A capacidade dos pais de cooperar conjuntamente sem expor seus filhos a conflitos contínuos pode fornecer uma base essencial para um ajuste saudável. Por outro lado, os pais que permanecem hostis uns aos outros e continuam a brigar abertamente provavelmente abrirão o caminho para futuros problemas para seus filhos. A psicóloga Gretta Rodrigues de Souza já explicou um exemplo dos problemas que podem ocorrer.

Isso faz sentido, certo? As crianças que precisam enfrentar brigas e conflitos entre seus pais enquanto enfrentam todas as mudanças provocadas pela separação ou pelo divórcio de seus pais provavelmente teriam mais dificuldades e mais ansiedade e depressão do que as crianças que passam pela separação ou divórcio, mas o fazem dentro de um conflito baixo. Então você pode dizer: "Tudo bem. Entendi. Mas como é seremos um casal pacífico quando as mesmas razões pelas quais nos divorciamos ainda estão presentes?
A resposta simples é FOQUE.

Segue, a definição de FOCADO. Há situações em que algumas destas sugestões simplesmente não são viáveis. Eles não são, de modo algum, obrigatórios, mas sim peças a considerar, olhar de diferentes ângulos para ver se talvez, apenas talvez, haja alguma maneira de fazê-los acontecer de uma maneira que beneficie seus filhos.

1. Busque apoio para você mesmo.

Seu relacionamento com o ex-cônjuge agora mudou de maneira dramática. Eu nunca ouvi falar de um relacionamento íntimo que terminasse com as partes envolvidas sentindo-se totalmente ilesa. Quer você se volte para terapia, família, amigos, líderes espirituais, uma combinação destes, ou algo completamente diferente que ajude você a encontrar o seu caminho, é fundamental que você alcance e se permita ser apoiado durante este período de tremendo ajuste. Ser capaz de avançar com maior paz interior pode fazer um monte de coisas boas para ser capaz de efetivamente ex-parceiro.

2. Use um mediador

Se possível, use um mediador para chegar a um acordo e concordar com um plano parental. Faça tudo o que puder para ficar de fora das batalhas do tribunal com o ex-cônjuge de seus filhos. Esse tipo de processo muitas vezes pode deixar os pais em um estado de alto conflito e que a energia passa para seus filhos.

3. Procure sinais emocionais em cada um dos seus filhos.

Se você está pensando que seu filho está indo muito bem no meio de sua dinâmica com seu ex-cônjuge, mas começa a notar algumas diferenças de comportamento, emoção (incluindo falta de expressão emocional), queixas somáticas que podem significar estresse (por exemplo, dores de cabeça, dores de estômago, dificuldades de sono), ou outras mudanças, pode ser hora de reexaminar o nível de tensão e conflito. A maioria das crianças ficará angustiada ao passar por esse processo. Elas terão altos e baixos, mas a angústia geral deve diminuir com o tempo. Se ela começar a piorar progressivamente, é algo que deve ser explorado.

4. Mantenha bons limites quando se trata de seu relacionamento.

Mantenha bons limites quando se trata de seu relacionamento com o ex-cônjuge. Embora seja essencial chegar a um acordo sobre as grandes coisas, como escola e saúde, você não precisa concordar com todas as pequenas coisas. Cada um de vocês precisará de espaço para os pais como achar melhor sem a interferência do outro. Por exemplo, você pode ter regras diferentes sobre as tarefas. Um dos pais pode querer que todos eles sejam feitos no fim de semana e o outro pode querer que eles sejam feitos todos os dias depois da aula sem nenhum no fim de semana. Nem está certo nem errado. Eles são simplesmente diferentes e cada um tem o direito de fazer esse contrato.

E também nos limites, lembre-se de que você e o ex-cônjuge não estão mais juntos. Isso significa bater antes de entrar na casa, ou permanecer no carro, se é isso que lhe é pedido, quando você vai buscar seus filhos para passar o tempo com você. Isso significa não bombardear seus filhos com perguntas invasivas. Isso significa conversar com seu ex na ausência de seus filhos quando você precisa trabalhar algo - mantendo a discussão centrada - com os adultos.

5. Demonstre tanto respeito pelo ex quanto possível.

Isso significa usar linguagem respeitosa sobre e em relação a ele/ela, ESPECIALMENTE se seus filhos estiverem em qualquer lugar ao alcance da voz e isso significa em qualquer lugar de sua propriedade porque eles têm radares incríveis que captam essa linguagem de longas distâncias e quando parecem imersos em atividade. Isso significa manter os limites discutidos acima. Lembre-se de que o ex-cônjuge faz parte da vida dos seus filhos. Respeitá-lo é uma maneira de respeitar seus filhos e garantir que você não os coloque em um conflito de lealdade, sentindo a necessidade de escolher entre você e o outro.

6. Reconhecer sentimentos não resolvidos

Se você está há muitos anos fora e você ainda se encontra sentindo fortes como ódio em relação ao ex, então você provavelmente tem algum trabalho a fazer para realmente seguir em frente com sua vida sem ele/ela. Seu relacionamento íntimo acabou. É hora de forjar algo que é mais parecido como uma sociedade, onde seus filhos e o bem-estar são o foco em todos os momentos. Se você está focado em manter a pontuação, negar os pedidos do ex porque você não quer que ele/ela siga seu caminho, ou se envolva em discussões regulares, gritos ou outras hostilidades, volte para o para a dica 1. Sem poderes de super-heróis, é quase impossível para seus filhos prosperarem inseridos nesta dinâmica.

Uma palavra final sobre manter o foco enquanto você trabalha em direção à prática conjunta cooperativa: em uma base regular, pergunte a si mesmo "Isso é bom para meus filhos?" pare e realmente pense sobre isso. "Isso é bom para meus filhos?" Pode ser útil manter uma foto de seus filhos à mão enquanto você contempla isso e ao lidar com as diferenças com ex-cônjuge.


Referência:
Neuman, M. G. & Romanowski, P. Helping your kids cope with divorce the Sandcastles way.
Ricci, I. Mom’s house, dad’s house: A complete guide for parents who are divorced, separated, or remarried.

compartilhe:
Psicóloga Juliana Gonçalves Oliveira Guedes
Formada em Psicologia pelo Centro Universitário UNA. Atua como psicóloga clínica em consultório particular..

Artigos recentes:

3 Comments

  1. Donec sed odio dui. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nullam id dolor id nibh ultricies vehicula ut id elit. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.

  2. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.