O efeito halo: Quando sua própria mente é um mistério

O efeito halo: Quando sua própria mente é um mistério

A possibilidade de que a avaliação de um item, produto ou indivíduo possa, sob algum viés, interferir no julgamento sobre outros importantes fatores, contaminando o resultado geral.

O efeito halo é um achado clássico na psicologia social. A avaliação global da pessoa(Por exemplo: Simpática) interferirá em fatores importantes(Por exemplo: inteligência). Estrelas de Hollywood demonstram o efeito halo perfeitamente. Pelo motivo que eles são frenquentemente atraentes e simpáticos nós naturalmente assumimos que eles são também inteligentes, amigáveis, demonstram um bom julgamento e assim vai. É isso até que venha até nós evidência do contrário(muitas vezes várias evidências).

Da mesma forma políticos usam o efeito halo para tirar vantagem, eles tentam aparentar amigáveis e calorosos enquanto estão falando nada de substancioso. As pessoas tendem a acreditar que suas propostas são boas por causa da pessoa aparentar ser boa. É simples.

Agora você deve estar pensando que sabendo destes gatilhos, você simplesmente estará imune ao efeito halo. Na década de 1970, o psicólogo social Richard Nisbett demonstou o pouco acesso que temos aos nossos processos de pensamento em geral e ao efeito halo em particular, ou seja, você não está imune.

Simpatia dos professores

Nisbett e Wilson queriam examinar o modo como estudantes participantes faziam julgamento sobre um professor. Disseram aos estudantes que a pesquisa era sobre uma investigação sobre avaliação do professor. Contaram (uma premissa falsa) para os alunos que os experimentos era sobre se o julgamento variaria dependendo da quantidade de exposição que estudante tinha com determinado professor.

De fato os estavam em dois grupos que iriam assistir dois diferentes vídeos do mesmo professor, que teria um forte sotaque belga(isto é importante). O primeiro grupo assistiu ao professor responder uma série de questões de uma forma calorosa e amigável. O segundo grupo viu exatamente a mesma pessoa respondendo as mesmas questões de uma forma fria e distante. Os participantes obviamente escolheram um alter ego mais simpático. Em um ele parecia gostar dos aluno e de ensinar e no outro aparentava uma pessoa autoritária que não gostava de ensinar.

Depois que cada grupo assistiu os vídeos foram solicitadas a avaliar o professor nos quesitos: aparência física, maneirismos e até mesmo seu sotaque(o maneirismo foi mantido nos dois vídeos). Consistente com o efeito halo, os estudantes que viram a encarnação mais calorosa do professor avaliaram-lo como mais atrativo, seus maneirismos e seu sotaque mais agradável. Isto não foi surpresa e é um reforço ao trabalho anterior sobre o efeito halo.

Julgamento inconsciente

A surpresa é que os estudantes não tinham ideia do motivo deles darem uma avaliação boa para o professor, mesmo depois de darem todas as explicações. Depois do estudo foi dito que a avaliação foi boa dependendo do quanto gostaram do professor. Apesar disto, a maioria disse que a avaliação das características do professor não foi afetado pelo quanto gostaram do professor.

Para aqueles que tiveram um professor rígido os resultados foram ainda pior, os estudantes entenderam de uma forma errada. Alguns acharam que suas avaliações foram realmente afetadas pela simpatia que tiveram com o professor.

Mesmo depois da explicação os participantes não ficaram satisfeitos. Eles foram entrevistados de novo e foi perguntado que se de alguma forma a avaliação foi afetada pela simpatia que sentiram pelo professor. Mesmo assim os estudantes afirmaram que o julgamento da aparência, maneirismo e sotaque foi feito sem considerar quão simpático o professor era.

Usos comuns do efeito halo

O efeito halo em si é fascinante e agora é famoso no mundo dos negócios. De acordo com o "Reputation Marketing" do John Marconi, livros que tem "Harvard Classics" escrito na frente podem ter o dobro do preço do mesmo livro sem o endosso de Harvard. O mesmo é verdadeiro na indústria da moda. Na adição de um estilista famoso em um simples jeans pode inflar tremendamente o preço.

O que experimento demonstra é que embora enredemos intelectualmente o efeito halo, frequentemente não temos ideia do quando exatamente ocorre. Isto é o que faz tão útil para marketeiros e políticos. É muito natural fazer este tipo julgamento sem mesmo percebemos e quando é mostrado a experiência assim mesmo é negado.

Então na próxima fez que votar em um político, considerar comprar um jeans ou se gosta de alguém, pergunte a si mesmo se está sob o efeito halo. Você está realmente avaliando as características do produto/pessoa ou pensa que está?

Estudo publicado

compartilhe:
PsiPsi - Psicólogos Online
PsiPsi - Terapia, piscologia e atendimento online. Espalhando a psicologia pelo mundo através da internet..

Artigos recentes:

3 Comments

  1. Donec sed odio dui. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nullam id dolor id nibh ultricies vehicula ut id elit. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.

  2. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.