Mas porque está sorrindo se diz ter depressão?

Mas porque está sorrindo se diz ter depressão?

Mas porque está sorrindo se diz ter depressão?

A frase do título, "Mas porque está sorrindo se diz ter depressão”, por mais paradoxal que pareça, é uma situação passada por muitas pessoas que enfrentam a depressão.

Recentemente o ator e comediante Jim Carrey, durante uma entrevista à rede CBS News, comentou sobre sua luta contra a depressão, tal doença que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), atinge cerca de 350 milhões de pessoas no mundo.

O ator falou das dificuldades que enfrenta para conviver com a doença, suas fases que intercalam em amenas e difíceis, sua capacidade em mascarar seu sofrimento, e que conseguiu compreender que há momentos em que está bem e outros que não, mas que aprendeu a identificar os sintomas e enfrenta-los.

Ao contrário do que se pensa e se fala, quem tem depressão nem sempre fica aparentemente triste e nem desanimado todo tempo, pois os sintomas e sua intensidade podem variar de pessoa para pessoa, mas é importante compreender que a diferença entre tristeza comum e a depressiva é a duração dos sinais.

A tristeza depressiva começa quando o sentimento acaba interferindo em sua vida, impedindo de prosseguir com suas atividades, tal sentimento passa a se manifestar durante a maior parte do dia, quase que diariamente, por um período de duas semanas, no mínimo.

Sensações de angústias, agonia e aflição, são constantes até mesmo nas fases em que está "aparentemente tranquila".

Há casos em que a depressão debilita totalmente o paciente, o qual passa a interromper suas atividades diárias, porém nem todos os casos são iguais, o que acaba aumentando o preconceito.

É preciso compreender que ter depressão não é passar o dia na cama, pois uma grande parcela das pessoas que convivem com a doença trabalham e estudam, e até mesmo exteriorizam felicidade.

Com o tratamento de qualidade, é possível controlar a doença e recuperar a qualidade de vida, a Psicoterapia pode ajudar o paciente na compreensão e identificação dos sinais e especialmente a lidar com eles.

Em alguns casos é preciso um tratamento em conjunto com medicamentos antidepressivos e Psicoterapia.

Durante a entrevista o ator descreve de maneira interessante o modo com vem enfrentando a doença.

"Às vezes sou feliz", a depressão vai e volta, mas agora aprendi a conviver e enfrentá-la, ele diz:

"Neste momento, eu não tenho depressão. Não há uma experiência de depressão. Eu tive isso por anos, mas, agora, quando a chuva vem, chove, mas passa. Ela não fica mais o suficiente para me deixar imerso e me afogar".

O que infelizmente ainda acontece, é que apesar do conhecimento que se tem da doença, as pessoas buscam ajuda somente na fase mais complexa, onde a doença já está influenciando em sua vida, mas a prevenção, é a melhor maneira de enfrentar a doença.

Não deixe de buscar ajuda, pois a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.

compartilhe:
Psicóloga Rodrigo Romão Antonio
Atuo como Psicólogo Clínico em abordagem Psicoterapia Breve, buscando promover saúde mental, equilíbrio emocional, qualidade de vida e desenvolvimento pessoal. Atendimento online e presencial na cidade de Bauru/SP para crianças/adolescentes/adultos/idosos/casais. Trabalho com o tratamento do processo de emagrecimento, no tratamento de ansiedade, depressão, conflitos pessoais, desenvolvimento pessoal, e vários aspectos emocionais e comportamentais. Idealizador dos Projetos: Educação Emocional EmagreSER TranquilaMENTE

Artigos recentes:

3 Comments

  1. Donec sed odio dui. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nullam id dolor id nibh ultricies vehicula ut id elit. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.

  2. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.