5 benefícios que só a terapia em grupo pode conceder

5 benefícios que só a terapia em grupo pode conceder

5 benefícios que só a terapia em grupo pode conceder

Para muitas pessoas "terapia em grupo pode ser mais poderosa e transformadora que terapias individuais" de acordo com Judye Hess, Ph. D, uma psicóloga clínica que tem como prática terapia de casais, terapia de família e terapia em grupo em Berkeley.

Há muitos tipos de terapia em grupo. Como Irvin D. Yalom, escreveu The Theory and Practice of Group Psychotherapy "As multiplas formas é tão evidente hoje que é melhor não falar terapia em grupo, mas de muitas terapias de grupos."

O terapeuta Ali Miller, que é também especializado em trabalhar com casais e grupos, identificou os vários tipos: Alguns grupos focam em aprendizado interpessoal. Em grupos de suporte, os membros focam mais no o que está acontecendo em suas vidas fora do grupo.

Miller lidera o que ela chama de "grupo híbrido". "É encorajado a conversar sobre sua vida fora do grupo e também conversar sobre a dinâmica dentro do grupo".

Há também grupo psicoeducacional, onde um psicólogo ensina os membros habilidades específicas, como lidar com a raiva ou terapia comportamental.

"Eu penso que o que temos em comum é todas as pessoas se juntarem, sob um psicólogo, para trabalhar a melhora em suas vidas de um jeito ou outro", diz Miller.

Grupos tipicamente consiste em 4 a 10 pessoas e encontros semanais para 90 minutos, diz Hess. A terapia em grupo pode ser breve durante alguns meses ou até longa durando anos.

Qual o motivo da terapia em grupo ser tão útil?

Abaixo, Miller e Hess shared 5 benefícios.

1. terapia em grupo ajuda a perceber que você não está só

De acordo com Yalom em The Theory and Practice of Group Psychotherapy, "Muitos pacientes entram na terapia com pensamentos inquietante de que eles são únicos em sua miséria, que eles sozinhos têm certos problemas, pensamentos, impulsos e fantasias assustadoras ou inaceitáveis."

Embora seja verdade que cada um de nós é único e pode ter circunstâncias únicas, nenhum de nós está sozinho em nossas lutas.

Por exemplo, durante anos, Yalom pediu aos membros, em um processo de terapia em grupo, que anotassem anonimamente a única coisa que não compartilhavam no grupo. Os membros do grupo incluíam estudantes de medicina, residentes psiquiátricos, enfermeiros, técnicos psiquiátricos e voluntários do Corpo de Paz.

Os segredos eram "surpreendentemente semelhantes". Vários temas surgiram: as pessoas acreditavam que eram inadequadas e incompetentes. Eles se sentiram alienados e preocupados com o fato de não poderem cuidar ou amar outra pessoa. E a terceira categoria incluía algum tipo de segredo sexual.

Miller diz, a terapia em grupo reduz o isolamento e a alienação. Isso aumenta a sensação de que "estamos todos juntos nisso" e normaliza o sofrimento.

2. Terapia em grupo facilita dar e receber ajuda

Um mal-entendido sobre terapia em grupo é que os membros têm turnos de terapia individual de um psicólogo enquanto outros observam, diz Miller.

Entretanto, como ela explicou melhor, os membros são na verdade encorajados a solicitar um ao outro ajuda, feedback e conexão, ao invés de ter todo o apoio de um psicólogo.

Miller compartilha um exemplo: Um membro se sente isolado e solitário, ele não sabe como fazer amigo. O grupo lhe ajuda-o escutando quando fala e se interessando pelo que está sendo falado durante a sessão, que por se só já diminui o sentimento de isolamento. Os membros compartilham suas próprias experiências. Compartilhando como cada um lida com a solidão ou como superar o isolamento, "oferecendo esperança, inspiração, encorajamento e muitas vezes sugestão"

3.Terapia em grupo ajuda encontrar sua "voz"

Miller define voz como "tornar-se atento sobre seus sentimentos ou necessidades e conseguir expressá-los". Nos grupos é fortementemente encorajado aos membros a avisar como eles estão se sentindo na sessão e falar sobre isso.

"Muitas pessoas não sabem como ele está sentindo quando ele está interagindo com outras pessoas, porque pode ser desafiador se conectar consigo mesmo quando está conectado com outros. Isto é uma das coisas que é muito importantes nas terapias em grupo".

4. A terapia em grupo ajuda você a se relacionar com os outros (e consigo mesmo) de maneiras mais saudáveis

Muitas vezes as pessoas não entendem o motivo que seus relacionamentos não duram, diz Hess. "Em uma atmosfera segura da terapia em grupo, membros podem ter feedback honesto de outros que se importam com a situação".

Por exemplo, os membros podem dizer: "Eu gostaria estar mais próximo de você, mas você sempre mantém distância de mim", "Isso me incomoda em você, você é o único a quebrar o silêncio" e "Quando você explica algo, eu fico impaciente, porque você se delonga demais para chegar no assunto".

Terapia em grupo provê a oportunidade de ver como as pessoas se relacionam umas com as outras, naquele momento, e como elas se relacionam consigo mesmo.

  • Você costuma aguardar até que alguém o convide a falar?
  • Ou você assume a liderança?
  • Você compartilha apenas informações positivas sobre você mesmo ou sobre as coisas com as quais você está lutando?
  • Que partes de você permite que os outros vejam?
  • Que partes de você esconde?
  • Como você lida com o conflito?
  • Como você atende suas necessidades?

Os membros da terapia em grupo é encorajado a tentar outros meios de se relacionar. Por exemplo, ao invés perguntar alguém sobre algo, você explica o motivo da pergunta. Ao invés de simplesmente dar conselho, você explica a motivação do conselho que está sendo dado.

"Você começa a ver que você tem muito mais opções disponíveis para você como se relacionar com os outros. Ela ajuda as pessoas a sair das rotinas relacionais, libera as pessoas para se libertarem dos padrões de relacionamento que não estão servindo", diz Miller.

Nas terapias de grupo é testemunhado a melhora de como eles se relacionam uns com os outros e com eles mesmos. Por exemplo, um membro se desculpava o tempo todo e era excessivamente preocupado o que os outros estavam achando dele. Então ele revelou que já tinha passado por muitas rejeições em sua vida e sempre teme passar por mais uma rejeição. Os membros lhe respondeu empaticamente, então ele começou a se sentir aceito. Suas auto desculpas diminuíram. "ele se sentiu pertencente e pode relaxar mais. Assim se tornou mais eloquente e articulado".

Outro membro era extremamente extrovertido e muito amigo de estranhos. Mas outros notaram que a simpatia dele não parecia real. Pela primeira vez, ele percebeu que o comportamento dele afastava algumas pessoas. Ele também percebeu que "precisava ser mais seletiva com sua amizade". Ele se tornou parte integrante do grupo ao moderar suas reações para incluir os sentimentos de outras pessoas".

5.Terapia em grupo fornece uma rede segura

No grupo de Miller, chamado "Conexão Autêntica", os membros lutam para serem autênticos e falam por si mesmos em suas vidas. Eles praticam essas habilidades no grupo e, à medida que o fazem, sua confiança para praticá-los fora do grupo aumenta.

Eles também são capazes de levar o apoio da terapia para outras esferas, tornando mais fácil assumir riscos, disse ela. "Se você sabe que pode compartilhar algo a um grupo de pessoas que se preocupam com você e ouvir sua experiência, você tende a se sentir mais corajoso. Saber que alguém vai te pegar se você cair o encoraja a pular. O grupo se torna uma rede".

Além disso, para fortalecer suas habilidades de relacionamento, reduzir a solidão e encontrar sua "voz", terapia em grupo é também valioso especialmente para pessoas com depressão[artigo psicóloga Cláudia Luisa, artigo psicólogo Rodrigo Romão Antônio], ansiedade[artigo psicóloga Cláudia Luisa] e transições na vida.

Terapia em grupo não é para todos em qualquer fase da vida, disse Hess. "É preciso força e algum reconhecimento das necessidades dos outros para funcionar bem em grupo, não ser destruído por isso e não destruir os outros."

Muitas vezes, é mais útil participar de terapia em grupo e individual, ela disse. "Dessa forma, as pessoas podem falar sobre o que surge para elas no grupo com o psicólogo".


Referência:
Miller, Ali
Hess, Judy
The Theory and Practice of Group Psychotherapy

 

compartilhe:
Psicóloga Juliana Gonçalves Oliveira Guedes
Formada em Psicologia pelo Centro Universitário UNA. Atua como psicóloga clínica em consultório particular..

Artigos recentes:

3 Comments

  1. Donec sed odio dui. Nulla vitae elit libero, a pharetra augue. Nullam id dolor id nibh ultricies vehicula ut id elit. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.

  2. Integer posuere erat a ante venenatis dapibus posuere velit aliquet.